sexta-feira, 13 de abril de 2018

Academia de Letras de Paulo Afonso empossa novos Membros e homenageia a Chesf e as mulheres da ALPA

Academia de Letras de Paulo Afonso empossa novos Membros e homenageia a Chesf e as mulheres da ALPA
Nesta sexta-feira, dia 13, às 19 horas, no Memorial Chesf
Antônio Galdino
Academia de Letras de Paulo Afonso empossa novos Membros e homenageia a Chesf e as mulheres da ALPA

Nesta sexta-feira, dia 13, às 19 horas, no Memorial Chesf
Academia de Letras de Paulo Afonso
 Fundada em 4 de novembro de 2005, a Academia de Letras de Paulo Afonso reúne entre seus membros, escritores, pesquisadores, historiadores, compositores, poetas e produtores culturais de Paulo Afonso.
Entre seus membros há os sócios fundadores, efetivos, que são intelectuais e literatos moradores de Paulo Afonso e os sócios ou membros correspondentes que são, como os demais membros, pauloafonsinos ou moraram um longo tempo no município e agora moram em outras cidades, estados ou países e continuam produzindo literatura e interagindo com suas origens, neste município.
O acesso à Academia, ALPA, é feito a partir de rigoroso critério e a aprovação da maioria dos seus membros para o preenchimento de vagas em seu quadro que, em todas as categorias é de 40 membros.
A ALPA foi presidida até setembro de 2017 pelo professor Francisco Araújo Filho quando foi eleita, no dia 14 daquele mês, a sua nova diretoria que tem como presidente o professor e escritor Antônio Galdino da Silva. Além dele, formam a atual diretoria, eleita para o biênio 2017/2019, os seguintes escritores: historiador João de Souza Lima (vice-presidente), professora Maria do Socorro Araújo do Nascimento (secretária geral), professora e bacharel em Direito Jovelina Maria Ramalho da Silva (2ª secretária), professor/doutor Sandro José Gomes (tesoureiro) e Francisco Araújo Filho (2º tesoureiro).
 Esta diretoria, desde a sua eleição tem promovido ações de revitalização da ALPA, inclusive com o preenchimento de vagas no seu quadro de membros.
No dia 14 de Dezembro de 2017 vários novos membros foram incorporados ao quadro da ALPA, cumpridas as exigências definidas pelo Estatuto da instituição. Nessa data, alguns dos novos sócios da ALPA, Membros Correspondentes, estavam em viagem, alguns para o exterior como Edson Mendes (que estava em um intercâmbio na França e em Portugal) e Edvaldo Nascimento (que fazia atividades do seu Doutorado, em Portugal) e não puderam comparecer ao ato de posse.
Neste dia 13 de Abril, às 19 horas, no Memorial Chesf Paulo Afonso, estarão sendo empossados:
Edson Mendes de Araújo Lima (morando no Recife/PE), Edvaldo Francisco Nascimento (morando em Delmiro Gouveia/AL), Jaime Jackson Gomes Freire (morando em Santos/SP), Luiz Ruben Alcântara Bonfim (morando no Recife/PE) e Murilo Geraldo de Siqueira Brito (morando no Recife/PE).
Além da posse dos novos membros da ALPA, a Academia estará também prestando uma homenagem às mulheres acadêmicas e será realizada uma palestra, pelo professor Antônio Galdino, em homenagem à Chesf pelos seus 70 anos de atividades promovendo o desenvolvimento do Nordeste.
 Haverá também o lançamento de livros e cordel de autores membros da ALPA, como:
O Messianismo de Pedro Batista e a Cultura popular em movimento, de Alcilvandes Santana;
Depressão, a dor que eu desconhecia, de Jaime Jackson,
Um homem à sombra do seu destino, de Marcos Antônio Lima
Cordel de Paulo Afonso, de Murilo Brito
Alcilvandes Santana e Murilo Brito, também artistas plásticos, estarão expondo alguns dos seus quadros no Salão de Exposições do Memorial Chesf.
O evento contará com a participação musical do violonista, Rafael di Oliveira, professor do Departamento de Cultura de Paulo Afonso e do Coral Chesf de Paulo Afonso.
O evento é aberto para todos.






terça-feira, 13 de março de 2018

GRUPO DO CRAS DO BTN I VISITA EXPOSIÇÃO NA CASA DA CULTURA - www.joaodesousalima.blogspot.com

o CRAS do BTN I  VISITOU HOJE, DIA 13 DE MARÇO, NA CASA DA CULTURA, A EXPOSIÇÃO: "Paulo Afonso 60 anos de histórias: vestígios do tempo da vovó.
O MOMENTO FOI BASTANTE MARCANTE PELO ENVOLVIMENTO DO GRUPO QUE COMEÇOU A VISITAÇÃO COM A RECEPÇÃO DA EQUIPE DA CASA DA CULTURA, EDUARDO, JOÃO, FABIANE E ALBA .
UMA ORAÇÃO DO PAI NOSSO, AGRADECENDO PELO MOMENTO, FOI O MARCO INICIAL DA VISITAÇÃO.

















segunda-feira, 5 de março de 2018

a História das mulheres Cangaceiras movimenta a Escola Polivalente


   Atendendo convite da professora Jovelina Ramalho realizamos uma palestra falando sobre a participação das Mulheres no Cangaço.
o tema bastante debatido hoje por vários setores da sociedade, torna-se importante conscientizar os alunos e jovens que estão prestes a começar a vida universitária, falar da importância do resgate e preservação das histórias do Brasil, em evidência os fatos acontecidos no Nordeste do Brasil.
a palestra contou com a presença do pesquisador Sandro Lee e Negrito, do site SE LIGA NA MÚSICA.











segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

LUIZ DE CAZUZA E AS RELÍQUIAS DO CANGAÇO - FERRADURAS DA FAMÍLIA FERREIRA

João de Sousa Lima e Sandro Lee
 Em 2003 o Grupo Folclórico Os Cangaceiros de Paulo Afonso, grupo fundado no dia 02 de fevereiro de 1956 foi se apresentar em Serra Talhada, mais precisamente no Sítio Passagem das Pedras, lugar onde nasceu Lampião.
Um dos componentes do Grupo era Sandro Lee.
Sandro sempre foi um dos mais paramentados cangaceiros culturais, entre seus apetrechos portava uma antiga "garruncha", arma popularmente conhecida como: "Dois tiros e uma carreira".
dentre as personalidades que estavam na festa, se encontrava Luiz de Cazuza.
Luiz se mostrou interessado na antiga arma de Sandro  e o jovem acabou presenteando o distinto senhor com a velha pistola. Luiz de Cazuza, diante da gentileza do cangaceiro fictício, foi em sua residência e pegou algumas ferraduras que havia pertencido a família "Ferreira", família que deu o mais famoso cangaceiro para a história do Nordeste, Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião..
As ferraduras eram coisas comuns dentro da família de Lampião, que antes de ser cangaceiro, seu pai tinha tropa de burros e a família trabalhava com almocrevaria, transportando algodão, peles e outras coisas, contratados por terceiros.
agora em 2018, Sandro Lee me presenteou com as antigas ferraduras e as peças estarão expostas futuramente no Museu do Nordeste.

Ferraduras da família Ferreira


pregos usados na ferradura


AGUA BRANCA, ALAGOAS: NA SINGELEZA DA SERRA.

com vozinha Iraci, Zélia e maria


 Água  Branca em Alagoas é uma das mais belas cidades do Nordeste.
seu clima serrano , a singeleza de seus recantos verdes e floridos, seus encantos históricos, a tornam uma das mais belas cidades do Nordeste.
Um fim de semana na companhia de pessoas simples e amáveis nos condiciona a enfrentar com mais alegria as lutas diárias.