segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PROFESSORA CLARICE: UMA DAS MAIS IMPORTANTES PERSONALIDADES DAS LETRAS DE PAULO AFONSO.



 

    
      Dentre as professoras pioneiras da Casa da Criança I, várias educadoras foram importantes para a educação de tantos jovens: Maria Olímpia (foi diretora na época em que eu era aluno), Joelnice, Ivonete Leite, Lenilda de Souza, Lindomar Araújo, Vilma Gomes, Maria Conceição, Lenira de Sá, Carmem, Maria José Amaral, Nivalda, Neuza Bezerra, Aldenira Andrade, Carmelita Ferraz, Naide Amaral, Neuza Mendonça, Rita Siqueira, Fátima Siqueira, Maria Siqueira, Inez Maria Leal, Maria das Dores, Natalice Gunes, Neide Jatobá, Palmira, Amanda Jatobá, Clarice Inez, Cícera, Eleuza, Risalvi, Creuza, Socorro Farias, Saúde, Socorro Ferraz, Diva, Tereza, Margarida, Isabel, Terezinha Barros, Lizete, Aleide Brito e o professor Inácio Ferreira de Moraes.
Os colegas que recordo são: Edson Barreto, João Vianês, Joel, Babá, Nininho, Gilmar (filho de João Mariano, da sorveteria Botijinha), Sebastião, Marques, Hércules, Luciano, Humberto, Elivonaldo Muniz, Gilson, Silvano, Mário “Ferrugem”, Cristóvão, Luiz Carlos, Carlinhos, Edson Henrique, Irapuã, Marcelo, Mozart, Ébio, Givanildo Targino, Val, Edson “Paulista”, Lucimar, Gleide, Madalena, Saúde, Socorro, Carmem, Maria do Socorro, Solange, Mazé, Eliane, Luzinete, Cátia, Cássia e Cirleide.

     Durante os anos que estudei na Casa da Criança I, na década de 1970, as professoras que marcaram minha infância e cuidaram de minha educação foram: Amanda Jatobá, Clarice Inez Leal de Sá, Natalice Gunes e a estagiária Fátima.
     De todas as educadoras, a que mais me recordo é de dona Clarice Inez Leal de Sá, exemplo de excelente mestra; sua característica mais marcante era o sorriso constante, encantador, contagiante.
Dona Clarice sempre foi um doce de pessoa. Ela nos ensinava a rezar, cantar o hino nacional, cantar músicas que enalteciam Cristo, fortalecendo a fé, valorizando a amizade.
Nunca consegui esquecer dona Clarice e seu sorriso.
Clarice lecionou na casa da criança de 1963 a 1988 quando aposentou. Ao tempo que ensinava ainda estudou na própria instituição quando por lá passou o IMEAPS e ela fez o curso pedagógico em 1967 e 1968, aprimorando seus conhecimentos.
     Enquanto vasculhava informações para a realização de um capítulo histórico, eu e o amigo-irmão Edson Barreto, depois de mais de 35 anos sem notícias de dona Clarice, fomos procurá-la e a encontramos no mesmo endereço, residindo lateral a igreja Nossa Senhora de Fátima, por trás da Casa da Criança I, escola que por tantos anos ela cuidou da educação de inúmeros jovens.
Os anos passaram e dona Clarice permanece com a mesma aparência, com o belo e inconfundível sorriso estampado na face, alegria divina, divinamente repassada a quem passa por sua vida, exemplo maior são seus dois filhos que são padres e pregam a palavra de Cristo em outros continentes.
Naquele dia, quando a visitamos, revivemos coisas, reviramos amareladas fotografias da sua trajetória educacional, comentamos a honra de termos sido alunos dela, falamos da grandeza e da importância que ela teve na construção de nossas vidas e pude depois sonhar com o sorriso de dona Clarice, uma professora que encantava seus alunos com um simples riso matinal, sua face é face angelical que até hoje preenche nossos corações de homens feitos, nos elevando quase ao êxtase de percorrer os campos celestiais...   ... Jesus Cristo abençoe para sempre sua vida meu anjo Clarice.






quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Casa da Cultura de Paulo Afonso apoio evento do Instituto Geográfico e Histórico - Homenagens aos Escritores Pauloafonsinos



  
    O Instituto Geográfico e Histórico da Microrregião do Sertão de Paulo Afonso (IGH-MSPA) convida a população para a solenidade de entrega de troféus aos alunos da Rede Municipal e homenageados. O evento será realizado no dia 24 de novembro, às 19h, na Casa da Cultura, na Avenida Getúlio Vargas.

 


Programação:

Entrega de troféus aos alunos da Rede Municipal de Ensino, que participaram do Concurso de Contos:

Lorena Ketlen da Silva
Clívia Adiele dos Santos
Carlos Eduardo Oliveira Sandes.


Entrega de troféus aos homenageados pelo IGH-MSPA

Doutor Anilton Bastos Pereira
Escritor João de Sousa Lima
Escritor Antonio Galdino
Escritor Roberto Ricardo
Entrega de diplomas do Instituto aos associados do IGH-MSPA.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Secretaria de Cultura e Esportes apoia evento cultural da UNEB - 120 Anos da Guerra de Canudos.



   A Secretaria de Cultura e Esportes, através da Casa da Cultura, apoia evento Cultural da UNEB: 120 Anos da Guerra de Canudos.
O evento acontecerá dias 21 e 22 de novembro de 2017 na Casa da Cultura, com abertura Oficial as 19;30 hrs na Casa da Cultura, com, participação da professora Cleonice Vergne e Alcides Modesto.
Acontecerá em anexo uma exposição com peças originais da Guerra de Canudos, com curadoria do Historiador João de Sousa Lima.
Participem, divulguem...


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

CANGACEIROS MORENO E DURVINHA EM DOCUMENTÁRIO A SER LANÇADO EM DEZEMBRO DE 2017


 em dezembro sai novo documentário sobre os Cangaceiros Moreno e Durvinha..
um depoimento colhido em 2006 e que tem muitas informações sobre a vida errante do czasal na época do cangaço.
não percam, divulguem....












segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Abel Barbosa e Silva: O Emancipador de Paulo Afonso - www.joaodesousalima.blogspot.com


   



 ABEL BARBOSA e SILVA nasceu em Pesqueira-PE em 03 de Junho de 1928, filho de João Barbosa e Silva e de Quitéria Maria de Jesus. Hoje, 03/06/2017 completa 89 anos de vida.
Abel sempre viveu intensamente envolvido com a política do Estado de Pernambuco, especialmente na região do Agreste do Estado, entre as cidades de Pesqueira, Canhotinho, Catende, Sertânia e em terras do Cariri Paraibano como Monteiro e outras regiões, sempre acompanhando e atuando nas campanhas políticas de Agamenon Magalhães, Apolônio Sales, Barbosa Lima Sobrinho.
Com a chegada da Chesf à região de Paulo Afonso, o pai de Abel, João Barbosa, veio com a esposa, para trabalhar na construção das Casas Tipo “O” do Acampamento da Chesf. Abel ficou no Agreste Pernambucano.
No início de Setembro de 1950, o pai de Abel morreu e ele chegou a Paulo Afonso no dia 03 de deste mês para apoiar sua mãe, D. Quitéria e nunca mais voltou para o seu Pernambuco.
Em Paulo Afonso, que ainda se chamava Forquilha e Vila Poty, foi criando raízes. Fundou o Grupo de Escoteiros que passou a dirigir como já fazia nas terras pernambucanas. Em Outubro 1953 elegeu-se vereador pelo Distrito de Paulo Afonso para a Câmara Municipal de Glória.
Ali começou, a partir de 1954, a trabalhar para aprovar o projeto de sua autoria para a emancipação política de Paulo Afonso. Conseguiu essa aprovação em 10 de Outubro de 1956 e continuou em luta intensa para que fosse aprovado pela Assembléia Legislativa da Bahia e então outorgado pelo governador do Estado e o seu projeto virou a Lei Estadual 1.012 em 28 de Julho de 1958, assinado pelo governador Antônio Balbino de Carvalho que criou o Município de Paulo Afonso.








segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Paulo Afonso Antigamente - www.joaodesousalima.blogspot.com


   

Paulo Afonso

Paulo Afonso, na Bahia, é um daqueles lugares que todos já ouviram algum comentário. Lá que está localizada a CHESF (Companhia Hidroelétrica do São Francisco), um dos maiores parques energéticos da América Latina, onde passa o famoso Rio São Francisco, mais conhecido como “Velho Chico”. A cidade também já serviu de refúgio para o cangaceiro Lampião, Maria Bonita e seu bando.
Atualmente o local é o mais novo e promissor destino turístico para os pesquisadores e amantes do cangaço e para quem gosta de praticar esportes náuticos e de aventura, localizado a 480 km de Salvador, no sertão baiano.
A visita ao Complexo Hidroelétrico da CHESF é um dos grandes atrativos do município de Paulo Afonso, mas não é o único. O visitante ainda pode passear de catamarã pelo cânion do São Francisco, no Povoado Rio do Sal (15 km de Paulo Afonso) e visitar o museu a céu aberto, com mais de 100 sítios arqueológicos com pinturas rupestres datadas de 9 mil anos.
Além disso, Paulo Afonso também oferece rico artesanato, especialmente de linhas, da Malhada Grande; trilhas para a prática de esportes de aventura; subida à Serra do Umbuzeiro, passeio ao Raso da Catarina – a maior reserva de caatinga do mundo e área de proteção ambiental de animais ameaçados em extinção como a ararinha azul -, e um passeio à Casa de Maria Bonita, rainha do cangaço.
Os grandes e pequenos lagos que transformam a cidade de Paulo Afonso em uma grande ilha também são alternativas de passeios e opções de lazer e competições náuticas.
Se depender do povo acolhedor e do visual mágico, Paulo Afonso certamente será destino obrigatório para os turistas, aventureiros e esportistas que buscam lugares ainda pouco explorados, mas com milhares de atrações.
Distante 480 km de Salvador, 460 km de Recife e 380 km de Maceió, Paulo Afonso conta com um moderno aeroporto e infra-estrutura turística que oferece cerca de mil leitos, bares, restaurantes e áreas de lazer.