terça-feira, 20 de maio de 2014

BIANCA OLIVEIRA: CANGACEIRA MODERNA.

     

 

BIANCA OLIVEIRA: CANGACEIRA MODERNA.


Conheci Bia acaso do destino; Ela fascinada pelas histórias do cangaço e eu entranhado há tempos nas diversas veredas da historiografia cangaceira, colhendo dados, rabiscando páginas, escrevendo livros.
Muitas léguas separavam corpos, a tecnologia estreitando distâncias, aproximando almas.
Muitos sonhos, risos, segredos desvendados, confidências guardados no diário imaculado do coração.
Ela tornou-se chama ardente, flamejante centelha que aquece os campos minados da alma que sofreu os desamores e dissabores  da vida. Suas palavras  trouxeram momentânea paz....    ...Paz que acreditamos vir pelo amor.....    ....Essa paz iluminou meu horizonte, cruzou meu espaço, revirou meu tempo.
Restou  um brilho, um brilho que quase opaco adormeceu  no desconhecido dos nossos sonhos.
Sua voz  deixou palavras que ecoam  como amarras que aprisionam  as liberdades que nutrem o coração. Foram frases que vagam ao vento e causam desalinho nas lembranças dos bons momentos. Seu riso eterniza-se como essência da nossa amizade mesmo tendo as lembranças do teu feminismo que deixou rastros fortes nas mais áridas veredas de um coração de um homem rude....
Quando o sol castigar tua epiderme feminina e clarear teu chapéu imaginário de cangaceira, a luz atenuará algumas atitudes quase impensáveis que queima o pasto de nossas mais doces lembranças eternas......







Nenhum comentário:

Postar um comentário